Área Reservada a sócios
Comparticipação é essencial 07 julho 2021

O acesso à terapêutica por via da suplementação alimentar, através de alimentos dietéticos para fins medicinais específicos, torna-se cada vez mais importante para muitos doentes. Contudo, apesar dos seus benefícios, a grande maioria destes produtos continua a não ser comparticipada pelo Estado.

Recentemente, o Hospital de São João, no Porto, alertou para esta situação. Em declarações à SIC, Cristina Teixeira, diretora do Serviço de Nutrição deste hospital, sublinhou que “a maioria dos utentes não tem possibilidade de pagar os suplementos” e que “noutros países, nomeadamente em Espanha, já existe essa comparticipação”. A responsável reforçou que em muitos casos, “se estes doentes com estas necessidades de alimentação específicas forem para casa com estes suplementos, podem ser poupados dias de internamento”.

Um alerta e uma posição defendida também pela ANID que realça os claros benefícios desta alimentação específica na saúde e qualidade de vida dos doentes.

Estes alimentos dietéticos para fins medicinais específicos destinam-se a casos muito particulares - como pessoas com doenças crónicas, que sofram de doenças graves ou em recuperação como, por exemplo, alguns dos casos mais agudos de doentes que sofreram ou sofrem de COVID-19. Podem ser de uso oral ou por sonda, e são consumidos em todos os locais onde podem ser fornecidos cuidados de saúde - hospitais, lares, clínicas e casas privadas – sob a supervisão de profissionais de saúde. 

Outras Notícias

SNE e MNI congratulam-se com publicação do Guia sobre FSMP

SNE e MNI congratulam-se com publicação do Guia sobre FSMP

15 dezembro 2017
Comunicado da ANID sobre Resíduos de pesticidas em alimentos para bebés

Comunicado da ANID sobre Resíduos de pesticidas em alimentos para bebés

15 março 2013
PARNUTS excluídos do Guia de Orientação da Comissão sobre Tolerâncias

PARNUTS excluídos do Guia de Orientação da Comissão sobre Tolerâncias

21 novembro 2012